segunda-feira, 28 de novembro de 2016

BONARDA ARGENTINO MARAVILHOSO! E COM ÓTIMO PREÇO!

Ei pessoal, tudo bem?

Hoje quero falar sobre um rótulo que experimentei no fim de semana do feriado do dia 15/11 que passei com uma turma de amigos na região de Alvinópolis, interior daqui de Minas, na Fazenda Cata Preta. É uma fazenda bem antiga, tem registros de mais de 300 anos, linda demais! 

Fazenda Cata Preta

O clima estava chuvoso e fresquinho, bem propício para um vinho. Eu levei meus vinhos pra esse fim de semana, mas nada de tão especial. O rótulo que me levou a escrever hoje é o que me foi apresentado pelo pai do nosso amigo, que é um dos donos da fazenda (aliás ele tem uma adega lá!): O Partridge Gran Reserva Bonarda 2014 de Mendoza, Argentina. 

 

Neste fim de semana experimentei tb o Cabernet Sauvignon dele, muito gostoso mas a uva Bonarda é que deu um show. O sabor simples e suave, mas muito presente e encorpado foi uma surpreendente descoberta. Adorei esta uva que eu nunca tinha experimentado e esta marca tb.
Sobre a uva, em um antigo artigo no site Revista Adega, encontrei uma boa descrição que finaliza poeticamente conforme o trecho a seguir: “Alguns produtores enfrentam o desafio de elaborar um bom vinho de Bonarda, e vários desses vinhos estão disponíveis em importadoras brasileiras. São vinhos marcados por frescor, acidez vibrante, fruta fresca e taninos suaves. Por um preço bastante acessível, constituem uma excelente relação entre qualidade e preço e, na Argentina, diz-se que são um revigorante para a alma, combatendo tristezas e saudade.”

Originalmente italiana, mas tradicionalmente Argentina a uva Bonarda veio para esta última em meados do século XIX. “Na Itália ela tem 3 tipos principais da uva: no Piemonte (Bonarda propriamente dita), na Lombardia e Emilia-Romagna (também chamada de "uva rara") e em Oltrepó Pavese (dita Croatina). Lá também existem muitos subtipos e apelidos, como Bonarda di Gattinara, Bonarda di Cavaglia, Bonarda Grossa, Bonarda Piccola, Bonarda di Pignola, Bonarda Novarese.  Na Argentina, é difícil ser preciso sobre de qual tipo falamos. Alguns autores mencionam que a Bonarda sul-americana simplesmente não tem parentesco com as variações italianas, e que seria a uva Charbonneau do Savoie (França) - também chamada de Douce Noir -, ou a Corbeau do Jura (França), ou Charbono (da Califórnia). Seja como for, os vinhos da Bonarda argentina têm, definitivamente, sabor bem distinto dos homônimos italianos.” Revista Adega


Sobre esta vinícola, Las Perdices, posso garantir que virei fã pq além da qualidade e sabor terem me agradado tanto, o preço é bem justo. 

 
Fotos da vinícola Las Perdices em Mendoza, na Argentina

Encontrei no www.wine.com.br o Bonarda por R$63,75 (para sócios o custo cai para R$60,00) e o Cabernet Sauvingon por R$43,75 (para sócios cai para R$42,00). Vale MUITO a pena experimentar!

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

2 FRANCESES E 1 PORTUGUÊS NO FINAL DE SEMANA

Olá!
Na semana passada encontrei com uns casais de amigos para fazer churrasco e... tomar vinho! Por que não???

Provamos 3 rótulos distintos.

O primeiro a ser aberto foi o Português Pé Tinto da Herdade do Esporão. Confesso que sempre que provo um vinho desta vinícola, eu gosto mais. É difícil escolher qual o melhor. Ele foi comprado na Boníssima aqui em BH por R$39,50.

Segue descrição: "Pensando no mercado atual de vinhos em nosso país, a respeitadíssima Herdade do Esporão saiu na frente e lançou em solo brasileiro seus mais novos vinhos, a linha Pé. Este nome, que nos remete à videira de forma mais pura, é justamente que estes vinhos tentam alcançar: pureza sem usar barricas, para não temperar o vinho e deixá-lo da forma mais natural. Leveza, frescor e a harmonia entre a acidez e a fruta aliados à qualidade da Esporão que todos conhecemos, só foi possível pela inteligência dos enólogos em aproveitar lotes de vinhos mais top da vinícola que antes não eram usados." www.baccos.com.br


Pé Tinto, Herdade do Esporão


O Francês Les Granitiers Cotrs Du Tarn eu já conhecia e amo de peixão. Ele é delicioso, leve, porém presente... não consigo definir e por incrível que pareça nunca consegui encontrar uma descrição dele na internet. Compro sempre no Super Nosso do Gutierrez aqui em BH por R$ 39,90:

Les Granitiers Cotes Du Tarn

O outro Francês que abrimos veio do Clube W, é o Ropiteau Frères Pinot Noir. Muito bom também. 

"Com aroma de frutas vermelhas, como groselha e cereja, floral, com notas defumadas, esse exemplar traz um paladar frutado, fresco e com taninos presentes e macios, características marcantes dos vinhos elaborados no sul da França. Com o objetivo de disseminar os seus rótulos e a sua paixão pelo mundo do vinho, a Roupiteau Frères expandiu a sua produção para outras regiões além da Borgonha, entre elas o sul da França, que segundo algumas literaturas recebeu as primeiras vinhas de gregos e romanos em 600 a.C." www.wine.com.br

No site ele está por R$ 41,60 para sócios e R$ 52,00 para não sócios:

Ropiteau Frères Pinot Noir

Em breve novidades e sugestões para as festas de final de ano!

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

AMIGOS DO TAÇAS - JÚLIA MOTTA BLANCK

 
Na coluna AMIGOS DO TAÇAS desse mês, quem vem compartilhar suas dicas conosco é a querida Júlia Motta Blanck.


JÚLIA MOTTA BLANCK

Ela é amiga da Andréa, estudaram juntas em algumas matérias na faculdade de Psicologia.
A Júlia está sempre nos acompanhando por aqui, pelo Facebook (Taças Gêmeas) ou pelo Instagram (@tacasgemeas) e sempre colaborando com suas experiências também.

Ela nos mandou 2 Portugueses que ela ama, são Vinhos Verdes (reveja o post sobre Vinhos Verdes aqui) e ainda dá a receita de Clericot também. Vamos lá?

"Nesse calorão, bem geladinho, amo os verdes Casal Garcia..."



"...e também os verdes Casal Mendes..."

"Dá pra fazer Clericot também, adicionando fatias de morango, estrelas de carambola e pedaços de maçã verde. Delicioso e refrescante!!"


Encontramos o Vinho Verde branco Casal Garcia por R$ 54,90 no Hipermercado Extra Belvedere e o Vinho Verde branco Casal Mendes por R$ 37,50 no Supermercado Verdemar Diamond, ambos aqui em BH.
 
Ju, muito obrigada por suas considerações!! 
Precisamos nos encontrar para tomarmos uma tacinha!!!

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

TRIO RESERVA CONCHA Y TORO - "BOA" EXPERIÊNCIA

Ei pessoal, tudo bem?

Hoje vou dar uma dica de um branco que tomei no final de semana passado quando fui pra minha cidade, Boa Esperança. Passei o dia como meu pai mas à noite saí para encontrar uma amiga querida de Varginha, a Lili, que estava em BE passeando com o namorado, o Rafa.


Estava fresquinha a noite mas mesmo assim resolvi pedir um vinho branco e a minha escolha foi o Trio Reserva Concha y Toro.


Por ser um reserva, é um vinho mais elaborado, com um toque mais sofisticado, mas achei de paladar simples.
A uva predominante é a Chardonnay (75%), mas ele tem ainda porcentagens pequenas de mais 2 uvas: Pinot Grigio (15%) e Pinot Blanc (15%).

A vinícola famosa Concha y Toro fala por si só, os chilenos nos conquistam sempre, né?

Em fim, adorei este rótulo!

Em sites especializados encontrei por R$65,00 (aqui


Vcs vão ver muitas dicas ainda no blog de brancos e rosés pq este verão promete ser bem quente e vamos experimentar muita coisa boa por aqui!