quinta-feira, 30 de março de 2017

TAÇAS GÊMEAS 1 ANO



Ei pessoal, tudo bem?

O post de hoje não é para dar dica nenhuma de lugar ou rótulo e sim para agradecer pela companhia de todos porque, acreditem, o Taças Gêmeas faz agora em março 1 ano!
Nossos números são modestos mas são pra nós uma grande conquista. Estamos muito felizes e queremos muito mais.



INSTAGRAM
251 POSTS
1842 SEGUIDORES

FACEBOOK
288 FÃS

BLOG
71 POSTS
66 COMENTÁRIOS
12.269 VISUALIZAÇÕES DA PÁGINA
5 “AMIGOS DO TAÇAS” – fora tantos outros amigos e leitores desconhecidos que acabaram virando amigos sempre colaborando nos mandando dicas quase diariamente (principalmente no Insta).


Para 2017 já estamos preparando novidades (já repararam no nosso novo layout, né?), parcerias super legais, novas plataformas, e muita coisa boa!

A partir do mês que vem teremos mais ainda, aguardem e confiram!

Muito obrigada!

Andréa e Laura


quarta-feira, 15 de março de 2017

"LATE HARVEST", QUE TIPO DE VINHO É ESSE?

A expressão "vinho de sobremesa" pra mim é comum, já que trata-se de um vinho mais adocicado para ser consumido em pequena quantidade após a refeição. 
O que eu não sabia é que esse tipo de vinho tem um nome específico, é chamado de "Late Harvest". Tradução ao pé da letra: "colheita tardia".

Foto: Rouxinol de Pomares

Um vinho Late Harvest vem literalmente de uma colheita tardia. Suas uvas são cortadas mais tarde do que o normal. O motivo desta colheita tardia é que as uvas sejam afetadas pela botrytis cinérea, um tipo de fungo que cobre a pele das uvas e concentra os seus sabores.

A umidade provocada pelas neblinas matinais, junto com o ambiente quente de fim de verão e início de outono criam as condições perfeitas para a maturação da uva e o surgimento da botrytis nobre.
O surgimento deste "mofo", que cobre e penetra os grãos da uva, provoca uma série de reações químicas que modificam parâmetros como acidez e açúcar. Assim, no interior da baga começam a se formar aromas de mel, flores e tangerinas, que logo se intensificam e se aperfeiçoam durante o processo de vinificação.

Vale ressaltar que a doçura desse vinho não é a mesma daqueles vinhos ditos "suaves" baratinhos do supermercado não, ok?

Foto: Blog Evino

É relevante o tipo da uva. Para a produção do Late Harvest, a casta deve ser de pele fina, como são os casos da Sauvignon Blanc, Moscatel, Gewürztraminer, Furmint e Riesling.

"Os vinhos Late Harvest possuem um denominador comum: sua aparência e bouquet. Na taça, os vinhos podem desenvolver tonalidades de ouro, siena, ocre, chá, cerveja, âmbar, açafrão, canela e cobre. No nariz se desenvolvem diferentes famílias de fragrâncias: almíscar, resina, madeira de sândalo, caramelo, amêndoas torradas, chocolate, leite, flores, tília, acácia, magnólia, árvores frutíferas em flor, narciso, jasmim, gerânio, mel, frutos secos, marmeladas, damasco, pêras, pêssegos, melões, uvas e especiarias como baunilha. Na boca, o vinho doce é nobre e fino, além de ter que apresentar um equilíbrio perfeito entre doce, estrutura e acidez." conchaytoro.com

Aqui em baixo eu coloquei alguns rótulos para vocês conhecerem: